UM RECOMEÇO

Muitos de vocês, que me acompanham noutras redes sociais - em especial, no snapchat - sabem que estou afastada de tudo o que é online e o porquê. Foram já, até, várias as vezes que abordei o assunto - umas porque achei que devia, outras a vosso pedido - no entanto, e porque vos respeito, a cada um, mesmo sem vos conhecer e vos gabo a paciência e compreensão de continuarem desse lado apesar deste afastamento, acho que vos devo não uma explicação mas um gesto de carinho, um sinal de que me importo com vocês e, portanto, uma palavra de reconforto e que mostre que "ainda estou aqui". O que se passa é relativamente simples e compreensível e quem está por dentro deste mundo da blogosfera já o deve ter sentido ou passado por algo semelhante. Começou tudo quando a minha máquina fotográfica se avariou e fiquei dois meses sem ela. Aconteceu numa altura em que eu tinha muito tempo livre, por serem férias de Natal, e em que, ver o blogue parado enquanto estava em casa sem fazer "nada" ou quando tinha oportunidades incríveis para fotografar para vocês, me fez mal. Este blogue foi criado para ser um escape de tudo o resto que me aborrece e preocupa e durante esses dois meses além de eu ter perdido esse meu escape e ter de me deparar com tempo livre para pensar em coisas demasiado inquietantes ainda tornei o blogue na minha preocupação principal. Isso, obviamente, despoletou em mim sentimentos e estados de espírito que não me deixaram propriamente feliz e foi aí que a desmotivação chegou. Ao fim de quase dois anos, tive de aprender a viver sem um blogue para gerir e acabei por assentar os pés na terra e estar, diariamente, muito mais exposta e diretamente ligada aos aborrecimentos, stresses e preocupações que me iam surgindo. Comecei a perceber uma certa ansiedade em tudo o que fazia e a desencorajar-me sempre que queria fazer algo novo ou diferente. Essa condição foi piorando e, em meados de Fevereiro, surgiu um pequeno problema de saúde, que depois se resolveu, mas que aumentou ainda mais essa minha ansiedade e nervosismo. No meio disto tudo, a única coisa que não mudou, que se manteve fiel ao que era, foram as pessoas que estavam e que continuaram a estar do meu lado e isso fez-me perceber que eu estava a ir no caminho errado no que dizia respeito ao blogue. Percebi que já há muito tempo que já não estava a ajudar, a inspirar, a trazer nada de novo ou útil para alguém. Andava simplesmente a fotografar roupas que punha no corpo para enfrentar dias e dias de trabalho e stress - e a criar mais stress nos meus dias por ter de andar a correr para apanhar a hora certa de fotografar. Isto já desde muito antes de Dezembro. Com tanto tempo livre comecei a preocupar-me mais com o meu corpo e com o meu bem-estar físico e emocional e, de repente, tudo começou a girar à volta disso. Deixei de querer saber daqueles sapatos lindos que me faziam doer os pés nos dias seguintes a usá-los, ou daquelas camadas todas de roupa que utilizava só porque ficava giro mas que se embrulhavam todas umas por baixo das outras e me deixavam extremamente desconfortável. Deixei de frequentar centros comerciais e ganhei, até, alguma aversão às lojas cheias de gente desesperada pela blusinha da moda. Não critico mas começou a deixar-me ansiosa e deprimida essas loucuras por algo que daqui a meio ano já não vamos querer no armário - no entanto, cada um sabe de si. Pedi, então, ao meu namorado que me tirasse dos sítios que frequentava e que experienciassemos, juntos, coisas novas. Assim fez. Viajámos aos fins de semana, perdemo-nos sabe-se lá por onde, reencontrámos o caminho certo, chegámos ao destino, usufruimos dele e foi tudo divertido - rimos quando nos perdemos, discutimos por causa do caminho, adorámos aquilo que visitámos e, quando chegámos ao fim sentimo-nos no nosso auge por termos feito algo novo e que nos tinha ensinado alguma coisa. Gastámos dinheiro? Não, investimo-lo em nós - e acreditem, não há melhor investimento. Estivemos em contacto com a natureza, demo-nos ao luxo de nos desligarmos de tudo durante horas, corremos no meio do nada, dançámos e fizemos piqueniques em cima de pedras com metros e metros, quase kms, de altura, mimámo-nos, fizemos promessas e fomos felizes como nunca tinhamos sido em algum outro dia durante estes dez meses em que estivemos juntos. Demos valor e vimos beleza na mais mínima coisa. Deixamo-nos espantar. Comecei, então, a desligar-me dos vídeos de compras e passei a ver vlogs de viagens e vídeos motivacionais, em que pude aprender alguma coisa em vez de ficar apenas a ver o sucesso dos outros. Senti-me bem, senti-me motivada a ir atrás dos meus sonhos, do estilo de vida que quero para mim. Surgiram-me, em pensamento, mil e um projetos novos - um deles, o repensar das temáticas deste blogue. Comecei a praticar meditação e a minha ansiedade diminuiu. Tornei-me mais tolerante e emocionalmente mais equilibrada - mas isso é assunto para outro post. Basicamente percebi que o que me fazia feliz não eram as roupas que tinha mas as experiências que vivia, não os bens materiais mas o que fazia com eles (é do caraças acordar, um dia, e perceber tudo isto). E foi quando percebi que ou o blogue mudava ou terminava - e não podia terminar. É por isso que ele está renovado, com um layout mais leve e simpático, mais soft e é também por isso que tenho o objetivo de fazer deste lugar algo mais dedicado ao bem-estar. Vamos ver...

You May Also Like

3 comentários

  1. Ola Linda:)
    Obrigada, Adorei o post:)
    Bjs Open Kloset
    Novo post:http://openklosetfashion.blogspot.pt/2016/06/largo-restaurant.html#comments
    Instagram:@openklosetfashion
    Snapchat: OpenKloset

    ReplyDelete
  2. Entendi perfeitamente o que escreveste. Acho que no final de tudo, o blogue tem que ser um hobbies e não um trabalho, uma preocupação. É o nosso momento zen.

    Um beijinho e bem-vinda de volta.

    ReplyDelete
  3. Welcomee! Adoro o teu blog, sou uma nova seguidora :)

    Muitos beijinhos
    http://diaryofalittlebee.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Obrigada pelos comentários.
Todos serão respondidos, brevemente, nos respetivos blogues.